6/22/2011

Riverdies

Postado por Edison Eloy

Herdeiros do grunge? Sim, contudo o quinteto carioca Riverdies vai além de apenas servir-se do estilo que renovou nos anos 90 a cena musical do planeta. "I Wonder", perguntas que nos fazemos sempre e continuaremos sempre, pois é o que impõe nossa condição. Podemos até desejar o mais simples, estar bem agora, mas sabemos que não é tão fácil assim. A Riverdies, abusa de riffs e guitarras consistentes, para continuar perguntando. Para cantar tempos que insistem em empurrar-nos para o "fundo", não? Nós mesmos estamos construindo esses tempos difíceis e aparentemente tão sem saída. Texto que coloca-nos diante do espelho, os causadores de todas as transformações positivas e as que também deixam-nos desolados. Realista e com um desejo enorme de ver horizontes mais auspiciosos, dedilhados mântricos em "Morning Dies", decretam a perda da crença, mas apenas até que outra manha anuncie-se. Alex Melch (Vocal), canta com sutileza até o que seria para doer. Mas tendo como suporte as bases de Gui Farizeli (Contrabaixo), Vic von Draxeler (Bateria) e Fil Buc e Leo Graterol (Guitarras), sabe gritar e forte e precisa para apontar como devemos pelos menos tentar nos posicionar para mudanças, "Build a New Life". Estamos dispostos? Tal qual um moto-contínuo, até o início e tudo de novo sempre e sempre. Sempre o mesmo? Voz sintetizada, "Fate", só um pouco, pois ainda existem segredos para serem desvendados. A Riverdies canta com a certeza dos que sabem para onde a estrada leva. Melhor, sabem que a estrada está lá, mas que eles é que seguem por ela e então determinam para onde vão. Vão sempre adiante, pelo país e mundo afora cantando, sem rótulo, pois quando se acredita no que se faz não é preciso provar mais nada. Apenas tocar e tocar, e que seja muito Rock´n Roll. Salve os que querem e podem ouvir! 




0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More